Viva Pacaembu
+19
+25°
+17°
São Paulo
Segunda-Feira, 02

Eventos

Carta ao Prefeito Haddad

Plano Diretor, e as expectativas da VivaPac para o ano de 2013. Carta aberta ao novo Prefeito eleito de São Paulo.

SAIBA MAIS

O portal do bairro chama Av. Pacaembu

A avenida que corta o bairro e é cara do Pacaembu.

SAIBA MAIS

Estabelecimentos comerciais no bairro do Pacaembu

Se você planeja abrir um estabelecimento com fins comerciais fique atento às regras dessas poucas ruas do bairro.

SAIBA MAIS

Balaio de notícias

Assuntos: Terrenos abandonados, O limite do poder público, E-mail VivaPAc, Totens ecológicos?, Caçambas, Associados Vivapac, Justificando a derrubada de árvores.

SAIBA MAIS

Editorial: Você é a cara da Viva Pac

Quem é e o faz Viva Pac?

SAIBA MAIS

Carta do Leitor: A luta contra as ilegalidades da rua Minas Gerais

A rua possui zoneamento restritivo mas existem estabelecimentos operando.

SAIBA MAIS

Serapilheira, o que significa este nome?

É uma cobertura natural que se forma na superfície do solo, saiba mais.

SAIBA MAIS

Espaço Cia City: Morar bem, o desafio de todos os tempos

Na década de 30 a Cia City já anunciava a venda de terrenos e casas no Pacaembu tendo-se como apelo o investimento em viver bem.

SAIBA MAIS

Antiga Casa de Chico Buarque vira museu

Sobrado no Pacaembu agora tem memorial da educação, com móveis e documentos

SAIBA MAIS

Viva Pacaembu
Siga-nos pelo Facebook Siga-nos pelo Twitter

Você é a favor da concessão do Estádio do Pacaembu para a iniciativa privada?

SIM
NÃO

Contexto:NOTÍCIAS - Modalidade:2012 - Area: - Evento:


legendaFoto:
Modalidade: 2012
Contexto: NOTÍCIAS
Evento:

25/12/2012

Ttulo: Carta ao Prefeito Haddad

Manchete: Plano Diretor, e as expectativas da VivaPac para o ano de 2013. Carta aberta ao novo Prefeito eleito de São Paulo.

Resumo:



legendaFoto: Av. Pacaembu
Modalidade: 2012
Contexto: NOTÍCIAS
Evento:

19/12/2012

Ttulo: O portal do bairro chama Av. Pacaembu

Manchete: A avenida que corta o bairro e é cara do Pacaembu.

Resumo:



legendaFoto:
Modalidade: 2012
Contexto: NOTÍCIAS
Evento:

19/12/2012

Ttulo: Estabelecimentos comerciais no bairro do Pacaembu

Manchete: Se você planeja abrir um estabelecimento com fins comerciais fique atento às regras dessas poucas ruas do bairro.

Resumo:



legendaFoto:
Modalidade: 2012
Contexto: NOTÍCIAS
Evento:

18/12/2012

Ttulo: Balaio de notícias

Manchete: Assuntos: Terrenos abandonados, O limite do poder público, E-mail VivaPAc, Totens ecológicos?, Caçambas, Associados Vivapac, Justificando a derrubada de árvores.

Resumo:



legendaFoto: Camisetas da VivaPac
Modalidade: 2012
Contexto: NOTÍCIAS
Evento:

18/12/2012

Ttulo: Editorial: Você é a cara da Viva Pac

Manchete: Quem é e o faz Viva Pac?

Resumo:



legendaFoto:
Modalidade: 2012
Contexto: NOTÍCIAS
Evento:

17/12/2012

Ttulo: Carta do Leitor: A luta contra as ilegalidades da rua Minas Gerais

Manchete: A rua possui zoneamento restritivo mas existem estabelecimentos operando.

Resumo:



legendaFoto:
Modalidade: 2012
Contexto: NOTÍCIAS
Evento:

16/12/2012

Ttulo: Serapilheira, o que significa este nome?

Manchete: É uma cobertura natural que se forma na superfície do solo, saiba mais.

Resumo:



legendaFoto:
Modalidade: 2012
Contexto: NOTÍCIAS
Evento:

15/12/2012

Ttulo: Espaço Cia City: Morar bem, o desafio de todos os tempos

Manchete: Na década de 30 a Cia City já anunciava a venda de terrenos e casas no Pacaembu tendo-se como apelo o investimento em viver bem.

Resumo:



legendaFoto:
Modalidade: 2012
Contexto: NOTÍCIAS
Evento:

10/12/2012

Ttulo: Antiga Casa de Chico Buarque vira museu

Manchete: Sobrado no Pacaembu agora tem memorial da educação, com móveis e documentos

Resumo:


Ter sossego é um direito. Perturbar o sossego alheio é uma contravenção penal.


Ao pensarmos em perturbação do sossego no Pacaembu, a primeira ideia que vem à nossa cabeça é a movimentação no estádio nos dias de jogos, shows ou eventos realizados ao redor da Praça Charles Müller; ou seja, pensamos em uma perturbação coletiva, de maior amplitude. 

A segunda ideia é a de que existe um horário inviolável (entre as 7h e 22h) que pertence ao “Sr. Barulho”, período este em que temos que tolerar qualquer ruído (som em alto volume, motor de carro, gritaria, latido, instrumentos musicais, etc.). Mas, isto está totalmente errado: sossego não tem horário e barulho tem limite! 

Às vezes, os sons dos vizinhos são tão habituais que as pessoas acabam se acostumando e, como ninguém protesta, o barulhento acha seu comportamento normal e, quando há reclamação, ele solta a famosa frase: Os incomodados que se mudem. 

Viver em ambiente silencioso e calmo é direito garantido pelo Código Civil Brasileiro (art. 1.277): O proprietário ou o possuidor de um prédio tem o direito de fazer cessar as interferências prejudiciais à segurança, ao sossego e à saúde dos que o habitam, provocadas pela utilização de propriedade vizinha.

A Lei de Contravenções Penais (Decreto Lei 3.688/41), referindo-se à paz pública, prevê: Perturbar alguém, o trabalho ou o sossego alheios: i) com gritaria ou algazarra; ii) exercendo profissão incômoda ou ruidosa, em desacordo com as prescrições legais; abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos; iii) provocando ou não procurando impedir barulho produzido por animal de que tem a guarda, caracteriza  contravenção penal e a pena é prisão simples, de quinze dias a três meses, ou multa (art. 42). 

O direito à propriedade não é absoluto. Não podemos perturbar o sossego dos vizinhos só porque estamos dentro de casa ou da empresa. O uso do bem tem inúmeras restrições, dentre elas o de não prejudicar o sossego dos vizinhos sob pena de responder por danos morais e materiais causados, além de prisão simples ou multa pela prática da contravenção. 

Por isso, quem possui imóvel deve ficar atento aos deveres que lhes são inerentes e, ao entregar seu imóvel a terceiros (locatários, familiares, funcionários, amigos), tem que alertá-los sobre atitudes que possam incomodar os vizinhos. O proprietário pode ser responsabilizado por atos praticados por quem ocupa o seu imóvel.   

Quando a tranquilidade é atingida, primeiro é preciso avaliar se o barulho é eventual ou habitual, bem como se ultrapassa o limite do bom senso. O ideal é também conversar com os vizinhos próximos para saber se mais alguém foi afetado. Conversar com o proprietário pode dar bom resultado, mas, se não surtir efeito, o jeito é ir até a Delegacia de Polícia e pedir que seja feito um boletim de ocorrência. É importante saber que não existe prazo determinado para fazer o boletim e que os vizinhos que também se sintam perturbados compareçam à Delegacia.