Viva Pacaembu
+19
+25°
+17°
São Paulo
Segunda-Feira, 02

Eventos

Aplaudido roteirista que é nosso vizinho

SAIBA MAIS

Era uma vez um menino e uma menina

SAIBA MAIS

Viva Pacaembu
Siga-nos pelo Facebook Siga-nos pelo Twitter

Você é a favor da concessão do Estádio do Pacaembu para a iniciativa privada?

SIM
NÃO

Contexto:ESPAÇO DO MORADOR - Modalidade:NOSSO VIZINHO - Area: - Evento:


legendaFoto:
Modalidade: NOSSO VIZINHO
Contexto: ESPAÇO DO MORADOR
Evento:

04/11/2013

Ttulo: Aplaudido roteirista que é nosso vizinho

Manchete:

Resumo:



legendaFoto: Jeronymo G. Bandeira de Mello
Modalidade: NOSSO VIZINHO
Contexto: ESPAÇO DO MORADOR
Evento:

03/08/2011

Ttulo: Era uma vez um menino e uma menina

Manchete:

Resumo:


Juan José Balzi

Juan José Balzi

Balzi, argentino com alma brasileira


Você já reparou na arvorezinha plantada no logotipo da Viva Pac? Nas cores e diagramação deste jornal? Assim como ilustrações de alguns impressos da Associação, todos têm a mesma assinatura: Juan José Balzi.

Juan é professor de desenho formado pela Academia de Belas Artes de Buenos Aires. Pintor, suas obras estão em museus e coleções particulares do mundo; participou da Bienal - SP de 2002 e de exposições no MAC - SP e na FAAP. Criou a imagem gráfica da Editora Nova Alexandria e de várias obras literárias da Globo, Abril, Ática, Moderna e Melhoramentos.  É autor do livro “O Impressionismo” (Ática-1992).

Veio a São Paulo para trabalhar em propaganda, após breve escala em Porto Alegre. Aqui, foi conquistado pela metrópole e pela paulistana Marina.  Casados, partiram para Milão e depois, Madri; ficaram 25 anos: a filha é italiana e o filho, catalão. A publicidade o manteve à margem da pintura por dar melhores condições de vida.

Em 87, voltaram ao Brasil. Alugavam apartamentos até que “Graças a Deus, por uma vez pelo menos, dei razão à minha mulher e viemos para esta casa.” Há 20 anos mora no Pacaembu. 

“Nessa época, vivi uma das mais importantes experiências da minha vida. Desenvolvi, para a Secretaria de Cultura do Estado e para a Prefeitura de Santo André, a metodologia para trabalhar Arte com meninos de rua. Acredito que a rua é a maior galeria, pois permite a exposição a um público enorme. Procurei conciliar grafiteiros e artistas eruditos. Quando cheguei à Praça da Sé acompanhado por 2 grafiteiros e alguns educadores foi um marco...”

 “Morar em São Paulo, mostrou que os problemas sociais atingem todas as classes: o desinteresse, a deseducação, a falta de compromisso. Tem que haver o comprometimento com a cidadania!”

Balzi foi cativado pelo brasileiro: “Está sempre disposto, com um sorriso.” Mas, agora, está começando a se sentir estrangeiro.

Sobre o bairro, disse que “o Pacaembu é um oásis, um dos pulmões pelo qual respira toda a cidade. Gostaria de ter mais tempo para colaborar com as pessoas que lutam para preservá-lo.” 

Entrevista de: Claudia Sodré