Viva Pacaembu
+19
+25°
+17°
São Paulo
Segunda-Feira, 02

Eventos

PROGRAMAÇÃO DEZEMBRO - MUSEU DO FUTEBOL

SAIBA MAIS

Em 2016, o Pacaembu é o Estádio que mais recebeu jogos na capital

SAIBA MAIS

Viva Pacaembu
Siga-nos pelo Facebook Siga-nos pelo Twitter

Você é a favor da concessão do Estádio do Pacaembu para a iniciativa privada?

SIM
NÃO

Contexto:NOTÍCIAS - Modalidade:2016 - Area: - Evento:


legendaFoto:
Modalidade: 2016
Contexto: NOTÍCIAS
Evento:

01/12/2016

Ttulo: PROGRAMAÇÃO DEZEMBRO - MUSEU DO FUTEBOL

Manchete:

Resumo:



legendaFoto:
Modalidade: 2016
Contexto: NOTÍCIAS
Evento:

05/07/2016

Ttulo: Em 2016, o Pacaembu é o Estádio que mais recebeu jogos na capital

Manchete:

Resumo:



legendaFoto:
Modalidade: 2016
Contexto: NOTÍCIAS
Evento:

19/06/2016

Ttulo: O novo zoneamento de São Paulo e os efeitos no Pacaembu

Manchete:

Resumo:


O novo zoneamento de São Paulo e os efeitos no Pacaembu

A Lei de uso e Ocupação do Solo (16.402/2016) foi sancionada pelo Prefeito Fernando Haddad no último dia 22 de Março.

Ela disciplina o parcelamento, o uso e a ocupação do solo no Município de São Paulo, de acordo com a Lei 16.050, de 31 de Julho de 2014- que é chamada de Plano Diretor Estratégico (PDE).

A Viva Pacaembu montou um grupo de estudo com 30 moradores e participou efetivamente das dezenas de audiências públicas em nível executivo e legislativo. No âmbito da câmara de Vereadores, as discussões foram divididas e realizadas por subprefeitura. Em nosso caso, estivemos presentes na Lapa e Sé.

Embora o Zoneamento não tenha ficado 100% como quisermos, acreditamos que obtivemos um saldo positivo, com vitórias importantes e emblemáticas para a manutenção e preservação do bairro tombado do Pacaembu. A grande gleba de 48 mil m² na Rua Angatuba fora preservada como ZER (Zona Estritamente Residencial); aquelas ruas residenciais que havia um risco de se transformar em zonas comerciais e de serviços, foram preservadas em sua grande maioria; nas Zonas Corredores (Av. Pacaembu, Arnoldo Azevedo, Alm. Pereira Guimarães, Ceará, Paulo VI, Bahia, Minas Gerais, entre outras) tiveram seus usos restritos e bares, restaurantes, casas de show foram proibidos. Cabe mencionar que esta fora uma vitória de poucos bairros residenciais de São Paulo, dentre eles o Alto da Lapa os Jardins e o nosso Pacaembu.

Toda a discussão de zoneamento se restringiu ao nível de uso e ocupação do solo, não tendo qualquer ligação com as resoluções de tombamento dos órgãos estaduais (Condephaat) e municipal (Conpresp), presentes em nosso bairro. Isso quer dizer que as restrições já pré estabelecidas no tombamento há 25 anos continuam válidas e se sobressaem em relação ao zoneamento, como mais restritiva. Um bom exemplo que podemos citar é o gabarito estabelecido de 15m (prédio de 5 andares) nas Zonas Corredores na cidade de São Paulo, que não vale para o Pacaembu, pois o tombamento, mais restritivo, estabelece 10m, mantendo as características do bairro-jardim, idealizado pela Cia City em 1925. Para maiores informações, acesse: http://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/texto-da-lei-3/.

Por fim, queremos agradecer a todos os moradores e usuários que se esforçaram e contribuíram nas discussões que levaram à manutenção e preservação do bairro tombado do Pacaembu.

Nosso próximo foco será na aprovação do Plano de Bairro e continuaremos precisando da ajuda e atenção de todos os pacaembuenses, juntamente dos Conselheiros Participativos Municipais, que aprovarão e encaminharão nosso Projeto de Lei para aprovação na Câmara dos Vereadores.

 

Rodrigo Mauro