Viva Pacaembu
+19
+25°
+17°
São Paulo
Segunda-Feira, 02

Eventos

PROGRAMAÇÃO DEZEMBRO - MUSEU DO FUTEBOL

SAIBA MAIS

Em 2016, o Pacaembu é o Estádio que mais recebeu jogos na capital

SAIBA MAIS

O novo zoneamento de São Paulo e os efeitos no Pacaembu

SAIBA MAIS

Viva Pacaembu
Siga-nos pelo Facebook Siga-nos pelo Twitter

Você é a favor da concessão do Estádio do Pacaembu para a iniciativa privada?

SIM
NÃO

Contexto:NOTÍCIAS - Modalidade:2016 - Area: - Evento:


legendaFoto:
Modalidade: 2016
Contexto: NOTÍCIAS
Evento:

01/12/2016

Ttulo: PROGRAMAÇÃO DEZEMBRO - MUSEU DO FUTEBOL

Manchete:

Resumo:



legendaFoto:
Modalidade: 2016
Contexto: NOTÍCIAS
Evento:

05/07/2016

Ttulo: Em 2016, o Pacaembu é o Estádio que mais recebeu jogos na capital

Manchete:

Resumo:



legendaFoto:
Modalidade: 2016
Contexto: NOTÍCIAS
Evento:

19/06/2016

Ttulo: O novo zoneamento de São Paulo e os efeitos no Pacaembu

Manchete:

Resumo:


Entrevista com Bia Onofre

Em 1975, a ONU (Organização das Nações Unidas) decretou oficialmente o dia

08 de março como o Dia Internacional da Mulher. Sabemos que para uma dona de casa, esposa, mãe e trabalhadora, todo dia é o dia da mulher, mas nessa data, vários países realizam encontros, debates, conferências e discutem o papel da mulher na sociedade atual, além de comemorar as conquistas já realizadas. Não foi fácil chegarmos onde chegamos e ainda há um longo caminho pela frente para que as mulheres sofram menos preconceito e desvalorização. Assim, gostaríamos de deixar aqui os nossos parabéns a cada uma dessas representantes da cidade de São Paulo, em especial às moradoras do bairro, que fazem, cada uma à sua maneira, parte dessa luta e de suas conquistas. Que cada mulher: avó, mãe e filha, receba uma flor virtual e que a plante em seu jardim, para que possamos colorir mais a nossa vida e torná-la ainda mais feminina.

 E nada melhor do que uma boa leitura sobre o universo feminino para comemorar a data, não é mesmo? O romance premiado “Restos de Nós”, escrito por nossa vizinha Bia Onofre, fala das dores e delícias de ser uma mulher. São duas narrativas distantes no tempo (1855 e 2005), porém situadas no mesmo espaço, que levam o leitor a perceber os condicionamentos sociais de duas épocas e se encantar com as protagonistas. Marcadas pela escravidão física e emocional, Mariana e Maria Clara revelam em seus diários tristeza, angústia e insatisfação, enquanto lutam para não perder a esperança. Impossível não se emocionar com suas confidências, que nos envolvem do começo ao fim. Mas conseguirão elas desfazer tantos nós? Só nos cabe percorrer esse caminho cheio de surpresas e ir até o final. E o que nos resta é um gostinho de quero mais…  

“Restos de Nós”- Bia Onofre:  Livraria Zaccara e Livraria Cultura.